Adicionar aos Favoritos      Indique este Site sexta-feira, 18 de outubro de 2019                                                                         
notícias
Clique para zoom
Clique para zoom
Clique para zoom
Clique para zoom
Clique para zoom
Clique para zoom
François Paul Journe, Jean Todt e o Professor Gérard Saillant, do Instituto ICM (www.icm-institute.org)

Clique nas imagens para visualizar as ampliações
O novo Centigraphe Souverain

domingo, 23 de dezembro de 2007

O novo relógio de François-Paul Journe em 2007, o espetacular Centigraphe Souverain, é um cronógrafo mecânico como nunca havia sido feito antes.

Basta um olhar de relance para se reconhecer o Centigraphe Souverain como um legítimo F. P. Journe. O formato de seus ponteiros, o desenho de sua coroa, o mostrador – são características inconfundíveis da obra deste grande mestre relojoeiro.

Outra das características fundamentais da obra de F. P Journe também está presente: um mecanismo em estado de arte, com peças em ouro, revelado pelo fundo transparente, inovador do ponto de vista técnico: uma verdadeira obra-prima da micro-mecânica.

O Centigraphe Souverain possui um movimento de cronógrafo a corda manual totalmente integrado, com um balanço oscilando a 21.600 vph (3 Hz), o calibre 1506, confeccionado em ouro. Ele é capaz de medir tempos decorridos de um centésimo de segundo a 10 minutos em três mostradores, cada um deles com uma escala de tempo em vermelho e uma escala taquimétrica em preto.

As escalas taquimétricas convertem tempos em velocidades variando de 6 km/h — uma caminhada — a 360.000 km/h, bem acima de velocidade de escape de um foguete entrando em órbita.

As indicações
O ponteiro de segundos na posição das 10 horas executa uma volta no mostrador em um segundo, contra uma escala marcada em centésimos de segundo, teoricamente possibilitando a cronometragem de um objeto movendo-se a 360.000 km/h, ou aproximadamente 1/3000 da velocidade da luz.

No mostrador da posição das 2 horas, o ponteiro faz uma volta em 20 segundos e a escala de tempo é marcada em segundos. A escala taquimétrica externa mostra a velocidade com números de segundos ímpares — 1, 3, 5, etc. — enquanto a interna corresponde aos números de segundos pares.

O terceiro mostrador, às 6 horas, onde o ponteiro dá uma volta em 10 minutos, possui uma escala taquimétrica similar com velocidades correspondentes a marcadores de 20 segundos. Assim, um quilômetro percorrido em três minutos e quarenta segundos representa uma velocidade de 16,4 km/h (com uma casa decimal).

Controle ergonômico do cronógrafo
O cronógrafo é iniciado, parado e resetado por um único botão na posição das 2 horas na lateral da caixa, ao invés dos botões usuais ao lado da coroa — uma solução ergonômica que foi patenteada.
O botão aciona uma roda de colunas que ativa as alavancas de início, parada e “reset“ de maneira convencional.

Mecanismo de cronógrafo patenteado
Uma segunda patente foi concedida para a engenhosa configuração do mecanismo, que efetivamente isola o cronógrafo da função de cronometria. Isto significa que a amplitude do balanço não é afetada pelo funcionamento do cronógrafo.

Isto é conseguido pelo uso de uma única mola principal que desenrola em ambas as extremidades, conduzindo o trem do cronógrafo através da árvore do tambor, e o trem de engrenagens do movimento pelo tambor (isto é similar ao sistema da mola principal usada no relógio Sonnerie Souveraine).

O contador de um segundo e o de vinte segundos são conduzidos por dois trens de engrenagens que partem de ambas as direções de uma única roda intermediária trabalhando para fora da árvore do tambor.
Um trem de engrenagens separado, também conduzido pela árvore do tambor, movimenta o ponteiro do cronógrafo de 10 minutos.

Segundos “voadores”
O ponteiro de segundos “voadores”, de alta velocidade, liberado pelo escapamento do relógio, salta no mostrador 16 vezes por segundo. Uma roda, montada sobre a quarta roda do movimento engata um pinhão que carrega o ponteiro de segundos “voadores”. Isto significa que os segundos “voadores” são conduzidos tanto pelo trem de engrenagens do movimento, trabalhando a partir do tambor, como pelo trem do cronógrafo, trabalhando a partir da árvore do tambor.

Isto tornou possível a divisão do tempo em intervalos menores que a freqüência natural de oscilação do balanço.

Uma engenhosa característica do ponteiro de segundos “voador” é que ele pode ser parado em qualquer lugar ao longo de sua jornada de um segundo ao redor de seu mostrador, mesmo entre duas divisões de um centésimo de segundo, permitindo uma leitura fracionada aproximada.
Isto é feito pelo desengate vertical do pinhão do ponteiro de segundos “voadores” do escapamento. Um dispositivo que converte movimento lateral em vertical empurra o pinhão para baixo sobre um freio.

De volta a zero
Os ponteiros de 20 segundos e o de 10 minutos são “zerados” por alavancas em martelo que agem em cames caracol. Isto elimina o jogo inerente às peças em coração convencionais, ao mesmo tempo assegurando que os dois ponteiros retornem a zero no sentido anti-horário.

O ponteiro de segundos “voadores” é parado em zero por um ressalto em seu pinhão que vai de encontro a uma alavanca.

Energia e reserva de marcha
Pode-se dar corda ao relógio sem interromper o fornecimento de energia ao movimento ou ao cronógrafo em funcionamento.

A mola principal garante ao menos 60 horas de reserva de marcha, e 30 horas com o cronógrafo em funcionamento.

Caixa
O Centigraphe Souverain será confeccionado com caixa em platina ou ouro rosa, com diâmetro de 40 milímetros.

Demonstração de perícia
Muito embora um cronógrafo mecânico com precisão de centésimos de segundo seja considerado por muitos como de utilidade prática discutível, o fato é a sua realização é uma prova de extrema perícia relojoeira, digna do grande mestre François Paul Journe. Como contraponto à sua complexidade técnica, possui uma facilidade de operação invejável.

Parte dos recursos de sua venda será doada ao Instituto ICM de Paris, uma instituição para tratamento de doenças do cérebro e medula, que tem como um de seus fundadores o diretor esportivo da Escuderia Ferrari de Fórmula 1, Jean Todt.

Publicado originalmente na Revista Pulso no. 52, Setembro/2007
 
Topo
Mais Notícias:
09/10/2019 - Label Noir - Uma visita à sede da Label Noir
 
09/10/2019 - Label Noir - A visit to the headquarters of Label Noir (in English)
 
04/10/2019 - Jaeger-LeCoultre - Gyrotourbillon 3 Meteorite
 
23/09/2019 - Harry Winston - Histoire de Tourbillon 10
 
10/09/2019 - Bvlgari - Baselworld 2019 - Octo Finissimo Chronograph GMT
 
09/09/2019 - Bell & Ross - Nova coleção BR 05
 
04/09/2019 - Audemars Piguet - Millenary Frosted Gold Philosophique
 
03/09/2019 - Voutilainen - Baselworld 2019 - O excepcional 28ti
 
29/08/2019 - Montblanc - Em Xangai, a Montblanc lançou seus novos relógios femininos
 
28/08/2019 - De Bethune - Baselworld 2019 - DB21 Maxichrono Réédition
 
23/08/2019 - Jaeger-LeCoultre - Polaris Date
 
19/08/2019 - Cyrus - Baselworld 2019 - Klepcys Vertical Skeleton Tourbillon
 
16/08/2019 - Maximilian Büsser & Friends - Legacy Machine FlyingT
 
13/08/2019 - Greubel Forsey - GMT Quádruplo Turbilhão
 
08/08/2019 - Panerai - Sugestões de presentes para o Dia dos Pais
 
Topo
arquivo de notícias relógios & relógios
 
 

HOME  |   R&R  |   FÓRUM  |   LINKS  |   ESPECIAL 2007  |   ESPECIAL 2008  |   IMPRENSA  |   CONTATO  |   CONTATO
Relógios & Relógios © Copyright 2019

 
 
parcerias
 
 
 
 
redes sociais