Adicionar aos Favoritos      Indique este Site terça-feira, 15 de outubro de 2019                                                                         
notícias
Imagens © Lange Uhren GmbH
Clique para zoom
Clique para zoom
Clique para zoom
Clique para zoom
Clique para zoom
O mecanismo de transmissão por corrente e fuso
Clique para zoom
Mecanismo de corda com engrenagem planetária oculta
Clique para zoom
O Tourbograph “Pour le Mérite”, de 2005

Clique nas imagens para visualizar as ampliações
Richard Lange “Pour le Mérite”

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

O terceiro relógio de pulso Lange com transmissão por corrente e fuso continua a tradição dos relógios de observação totalmente orientados à precisão da cronometragem. Com esta transmissão pouco freqüente na relojoaria e um mostrador esmaltado dividido em três partes, em nada é desmerecido por seus antecessores históricos famosos.


O cronômetro de bolso, o relógio das elites científicas, sempre foi uma peça rara e muito cobiçada. Surgiu na A. Lange & Söhne ao redor de 1880, quando Richard Lange, o filho mais velho do fundador da empresa e diretor técnico do negócio familiar, deu novos e importantes impulsos à relojoaria de precisão. No total foram fabricados cerca de 30 destes relógios excepcionais.

Agora renasce novamente o cronômetro com transmissão por corrente e fuso como instrumento de cronometragem exclusivo destinado ao pulso e totalmente centrado na precisão mecânica. Sem complicações suplementares, se limita a este único objetivo. Seu nome: Richard Lange “Pour le Mérite”. Ele será apresentado oficialmente no SIHH 2009.

Após o Turbilhão da primeira coleção e o Tourbograph apresentado em 2005, este Richard Lange também leva a designação “Pour le Mérite”. Na Lange esta distinção está reservada às complicações mais extraordinárias, como a transmissão por corrente e fuso. Ela se refere à Ordem do Mérito outorgada pela primeira vez em 1842 ao grande explorador Alexander von Humboldt e que hoje distingue os cientistas e artistas de maios destaque. Mas esta denominação também poderia ser considerada como uma homenagem aos pais da relojoaria de precisão da Saxônia. Como por exemplo, Richard Lange, que acrescentou numerosos inventos à relojoaria, em especial a liga aço/níquel para as espirais dos relógios, patenteada em 1930 e ainda utilizada hoje em dia, com a adição de berílio, capaz de manter permanentemente uma temperatura estável e ser resistente às influências dos campos magnéticos.

O Richard Lange “Pour le Mérite” é o segundo membro de uma família de relógios consagrados pela busca de uma cronometragem mais precisa. O primeiro relógio era um extraordinário modelo de três ponteiros na mais pura tradição dos relógios científicos. Também no novo modelo, a caixa de platina ou ouro vermelho mede 40,5 milímetros de diâmetro, o que facilita sua leitura. Com uma simplicidade purista, o mostrador de esmalte branco, para o qual são necessários 30 longos processos de trabalho, é dividido em três partes com numerais romanos pretos para as horas e numerais arábicos vermelhos para os 15, 30, 45 e 60 minutos. Ele recebe clássicos ponteiros de aço azulado que criam um belo contraste. Também se renunciou a uma abertura que permitiria a visão do mecanismo de corrente e fuso. Nada poderia desviar a atenção de quem quer consultar o tempo cronometrado com precisão.


Mais efetivo que um turbilhão

O Richard Lange “Pour le Mérite” abriga uma construção genial. A transmissão baseado no princípio da corrente e fuso era utilizado no século XV por Leonardo da Vinci, entre outros. Sobre esta transmissão escreveu G.H. Baillie em sua obra de referência “Watchmakers and Clockmakers of the World“, que “provavelmente nenhum problema na mecânica foi resolvido de maneira tão simples e perfeita”.

A realização do mecanismo em miniatura para um relógio de pulso, contudo, exige grande conhecimento e habilidade, o que o torna muito menos utilizado que o turbilhão. Não obstante, em um relógio de pulso, é muito mais efetivo. Com efeito, ele elimina o inconveniente da distensão da mola, a inevitável perda de torque, utilizando inteligentemente a lei da alavanca.

A transmissão por corrente e fuso compensa a redução da força da mola e mantém constante o torque efetivo durante toda a duração da marcha. Para tanto, o mecanismo possui dois componentes que se encarregam do que normalmente é feito apenas pelo tambor de corda: o tambor de corda e o fuso cônico adjacente.

Uma delicada corrente, no caso do Richard Lange “Pour le Mérite”, composta por 636 peças, une ambos os componentes. Uma extremidade está unida à porção mais larga do fuso e a outra, ao exterior do tambor. Uma ranhura é entalhada na superfície cônica do fuso que, como um caminho em espiral que conduz ao topo de uma montanha, leva até a parte mais estreita do fuso.

Quando o relógio tem toda a corda dada, a corrente se desenrola pela parte externa do tambor e se enrola no fuso até que, como em nossa metáfora, alcance o topo da montanha. O raio do fuso, isto é, a magnitude de sua alavanca, é pequeno neste ponto; o torque da mola, ao contrário, é grande. Quanto mais se estende a mola, menor é sua força. Porém, ao desenrolar-se a corrente do fuso, a alavanca, ou seja, o raio do fuso que exerce um efeito, aumenta exatamente na mesma medida que a força da mola diminui. O torque no eixo do fuso permanece constante. E, deste modo, a amplitude do balanço também permanece constante.


Uma obra de arte relojoeira

Este extraordinário sistema só pode funcionar impecavelmente com três precauções: é preciso um dispositivo que bloqueie a corda do relógio pouco antes que toda a corda seja dada para se evitar que a corrente se rompa. Para isto se utiliza o movimento vertical da corrente para acionar um sutil sistema de alavanca que bloqueia o “rochê” no momento oportuno. Além disso, se necessita um dispositivo que pare o mecanismo antes que acabe toda a corda.

Uma roda de reserva de marcha, que controla uma alavanca de parada, se encarrega desta função. Transcorridas exatas 36 horas, a alavanca cai em um recesso da roda. Auxiliado por uma mola, o braço mais longo da alavanca se move para o engate de um dedo especialmente conformado colocado no eixo da quarta roda. O eixo é parado quando os dois elementos fazem contato. O ponteiro de segundos pára na posição zero.

Por último, se necessita de uma construção capaz de garantir que a transmissão não seja interrompida quando se dá corda ao relógio. Um genial sistema planetário colocado no interior do fuso assegura a transmissão da força do fuso ao mecanismo quando se está dando corda ao relógio. Os detalhes técnicos mais interessantes, como a corrente, o mecanismo de bloqueio e a “rochê”, abaixo da qual se encontra o fuso com toda a engrenagem planetária, podem ser vistos através de aberturas da platina de três quartos, finamente decorada.

Outro detalhe importante mostra até que ponto seus projetistas buscaram a perfeição: para encontrar a relação ótima das características da mola principal e do fuso, um relojoeiro pode ajustar no tambor o setor de funcionamento de 36 horas da mola principal na direção de um maior ou menor torque. Isto é feito por meio de uma ferramenta fabricada especialmente pela Lange que engata com uma “rochê” pré-tensionada sobre o tambor de corda. Um gatilho fixa o ajuste. O dispositivo está localizado sobre a platina de três quartos de modo que seja facilmente accessível.

No interior do exclusivo calibre L044.1 trabalha um sistema de escape sem raquete com 21.600 vph para uma reserva de marcha de 36 horas. Ele possui uma espiral fabricada “in-house” perfeitamente adaptada ao sistema oscilante e às exigências do mecanismo.

O momento de inércia do grande balanço equilibrado com 18 parafusos de compensação e quatro parafusos de regulação, todos em ouro maciço, corresponde também exatamente ao torque entregue pelo fuso. Todas as peças deste complexo mecanismo a corda manual são fabricadas segundo os mais altos padrões de qualidade da Lange e finamente decoradas.

Além da ponte do balanço, a ponte da roda de escape e da quarta roda é decorada à mão. Os mestres relojoeiros da Lange chegam ao extremo de decorar com todo o cuidado também as partes ocultas do movimento. Por isto o Richard Lange “Pour le Mérite” não apenas é um relógio de precisão tecnicamente perfeito, mas também uma obra de arte relojoeira de primeiríssima linha.
 
Topo
Mais Notícias:
09/10/2019 - Label Noir - Uma visita à sede da Label Noir
 
09/10/2019 - Label Noir - A visit to the headquarters of Label Noir (in English)
 
04/10/2019 - Jaeger-LeCoultre - Gyrotourbillon 3 Meteorite
 
23/09/2019 - Harry Winston - Histoire de Tourbillon 10
 
10/09/2019 - Bvlgari - Baselworld 2019 - Octo Finissimo Chronograph GMT
 
09/09/2019 - Bell & Ross - Nova coleção BR 05
 
04/09/2019 - Audemars Piguet - Millenary Frosted Gold Philosophique
 
03/09/2019 - Voutilainen - Baselworld 2019 - O excepcional 28ti
 
29/08/2019 - Montblanc - Em Xangai, a Montblanc lançou seus novos relógios femininos
 
28/08/2019 - De Bethune - Baselworld 2019 - DB21 Maxichrono Réédition
 
23/08/2019 - Jaeger-LeCoultre - Polaris Date
 
19/08/2019 - Cyrus - Baselworld 2019 - Klepcys Vertical Skeleton Tourbillon
 
16/08/2019 - Maximilian Büsser & Friends - Legacy Machine FlyingT
 
13/08/2019 - Greubel Forsey - GMT Quádruplo Turbilhão
 
08/08/2019 - Panerai - Sugestões de presentes para o Dia dos Pais
 
Topo
arquivo de notícias relógios & relógios
 
 

HOME  |   R&R  |   FÓRUM  |   LINKS  |   ESPECIAL 2007  |   ESPECIAL 2008  |   IMPRENSA  |   CONTATO  |   CONTATO
Relógios & Relógios © Copyright 2019

 
 
parcerias
 
 
 
 
redes sociais