Publicidade

FórumTag Heuer

A postagem de mensagens e o acesso a determinados recursos somente são permitidos a usuários registrados.
Tópico: A HISTÓRIA DA MARCA
Clique aqui para navegar para o próximo tópico  Clique aqui para navegar para o tópico anterior
26/11/13 - 20:07
  Quote  #1
Mensagem por RCComes
Local: Santa Maria
Cadastro: 23/09/13
Posts: 2214
Usuário nível:




Visualizar o perfil de RCComes Perfil  Busca de outros posts por RCComes Busca
Texto extraído da Vecchio:

TAG Heuer: Conheça a história da marca "vanguardista suíça desde 1860″

Pensar em TAG Heuer é involuntariamente aflorar no subconsciente a imagem de relógios e cronógrafos esportivos de alta precisão e estética. Acima de tudo, TAG Heuer (a pronúncia é Tag-ho-yer) é sinônimo de luxo e sofisticação, principalmente quando seus modelos mais populares são associados aos pulsos de celebridades em evidência – como a tenista Maria Sharapova, o jogador de golfe Tiger Woods e os atores hollywoodianos Brad Pitt, Leonardo Di Caprio e Uma Thurman.



Impulsionada pelo slogan "Swiss Avant-Garde since 1860″ (Vanguardista Suíça desde 1860), a marca não vende só requinte; ela aposta na filosofia evolucionista – em termos de tecnologia, escolha de materiais e design – para se destacar das concorrentes. Vai ver é por isso que a grife ostenta hoje a posição de quarta maior fabricante de relógios de luxo do mundo, perdendo apenas para Rolex, Cartier e Omega.

Indicada para homens e mulheres, a TAG Heuer faz parte do Grupo LVMH (Louis Vuitton Moet Hennessy), gigante conglomerado francês de bens de luxo que detém também a Hublot e a Dior Watches, por exemplo. Alguns dos relógios de pulso TAG Heuer mais populares são o Monaco, o Carrera e o Kirium.

151 anos de História

Com apenas 20 anos, em 1860, o suíço Edouard Heuer fundou a sua oficina na cidade de St-Imier com o objetivo de reduzir a forma como o tempo era medido. Nove anos depois, em 1869, ele patenteou o primeiro cronógrafo a marcar 1/5 de segundo. Já nos anos 1900, a marca criada por Edouard apresentou o primeiro cronógrafo para painel de automóveis (1911) e outro para medição dos centésimos de segundo (1916).

Em 1964 foi lançado o cronógrafo Carrera. Em homenagem à "Carrera Panamericana México", corrida de estrada dos anos 50, o modelo é frequentemente associado ao automobilismo. Dez anos depois, em 1974, outro modelo seria relacionado ao esporte. O Silverstone, com design quadrado arredondado, acabou por virar "bibelô" dos pilotos Emerson Fittipaldi e Clay Regazzoni.



Se você puxar na memória também deverá lembrar duas campanhas ligadas ao tema. "Don't crack under pressure" (Não quebre sob pressão), lançada em 1991, que enaltecia pilotos-mito como Ayrton Senna e Michael Shumacher. Outra que ganhou bastante repercussão foi a "Sucess. It's a mind game" (1995), que em tradução literal para o português significa "Sucesso. Isso é um jogo mental".



Ainda sobre o ramo esportivo, merece menção a Série 2.000, marcada pela resistência à água (em até 200 metros de profundidade), aro giratório unidirecional, ponteiros luminosos, coroa rosqueada, fecho de dupla segurança e visor de safira resistente a riscos. A linha de óculos Sport Vision (2002) também veio para incrementar a categoria. Apresentando lentes para diferentes esportes, como esqui, tênis, golfe e automobilismo, a série contava com modelos que custavam entre R$ 1,8 mil e R$ 2,6 mil.

TAG Heuer remete também à ideia de exuberância e, consequentemente, joias e pedras preciosas. Nesse quesito destacam-se o Chronosplit (1975), primeiro cronógrafo de pulso do mundo feito de quartzo e com mostrador LED; a Série S/El (1987), também conhecida por Sport/Elegance; e o Diamond Fiction (2005), primeiro relógio com mostrador de diamantes, limitado a três unidades, que exibe horas quando 54 pedras preciosas se iluminam de vermelho cintilante.



Visibilidade

A TAG Heuer ganhou o mundo, por assim dizer, quando o ator Steve McQueen apareceu com o relógio Monaco no longa-metragem "Le Mans" (1971). Rodado durante a tradicional corrida que dá nome ao filme, que tem 24 horas de duração e era uma das mais perigosas da época, "Le Mans" é uma referência para os fãs do automobilismo. E, claro, Steve McQueen virou o primeiro embaixador da marca.



Os modelos TAG Heuer estão disponíveis em mais de 100 países, por meio de lojas autorizadas e joalherias de renome. As peças da marca – com exceção de séries e modelos especiais – variam de US$ 600 a US$ 15 mil. Outra opção de disponibilidade são as 11 lojas próprias da rede

 
27/11/13 - 21:15
  Quote  #2
Mensagem por WilsonSP
Local: São Paulo
Cadastro: 15/03/13
Posts: 252
Usuário nível:



Visualizar o perfil de WilsonSP Perfil  Busca de outros posts por WilsonSP Busca
Muito legal...belo histórico !




QUOTE]Quote: Originalmente postado por RCComes em 26/11/2013 20:07:48
Texto extraído da Vecchio:

TAG Heuer: Conheça a história da marca "vanguardista suíça desde 1860″

Pensar em TAG Heuer é involuntariamente aflorar no subconsciente a imagem de relógios e cronógrafos esportivos de alta precisão e estética. Acima de tudo, TAG Heuer (a pronúncia é Tag-ho-yer) é sinônimo de luxo e sofisticação, principalmente quando seus modelos mais populares são associados aos pulsos de celebridades em evidência – como a tenista Maria Sharapova, o jogador de golfe Tiger Woods e os atores hollywoodianos Brad Pitt, Leonardo Di Caprio e Uma Thurman.

Impulsionada pelo slogan "Swiss Avant-Garde since 1860″ (Vanguardista Suíça desde 1860), a marca não vende só requinte; ela aposta na filosofia evolucionista – em termos de tecnologia, escolha de materiais e design – para se destacar das concorrentes. Vai ver é por isso que a grife ostenta hoje a posição de quarta maior fabricante de relógios de luxo do mundo, perdendo apenas para Rolex, Cartier e Omega.

Indicada para homens e mulheres, a TAG Heuer faz parte do Grupo LVMH (Louis Vuitton Moet Hennessy), gigante conglomerado francês de bens de luxo que detém também a Hublot e a Dior Watches, por exemplo. Alguns dos relógios de pulso TAG Heuer mais populares são o Monaco, o Carrera e o Kirium.

151 anos de História

Com apenas 20 anos, em 1860, o suíço Edouard Heuer fundou a sua oficina na cidade de St-Imier com o objetivo de reduzir a forma como o tempo era medido. Nove anos depois, em 1869, ele patenteou o primeiro cronógrafo a marcar 1/5 de segundo. Já nos anos 1900, a marca criada por Edouard apresentou o primeiro cronógrafo para painel de automóveis (1911) e outro para medição dos centésimos de segundo (1916).

Em 1964 foi lançado o cronógrafo Carrera. Em homenagem à "Carrera Panamericana México", corrida de estrada dos anos 50, o modelo é frequentemente associado ao automobilismo. Dez anos depois, em 1974, outro modelo seria relacionado ao esporte. O Silverstone, com design quadrado arredondado, acabou por virar "bibelô" dos pilotos Emerson Fittipaldi e Clay Regazzoni.

Se você puxar na memória também deverá lembrar duas campanhas ligadas ao tema. "Don't crack under pressure" (Não quebre sob pressão), lançada em 1991, que enaltecia pilotos-mito como Ayrton Senna e Michael Shumacher. Outra que ganhou bastante repercussão foi a "Sucess. It's a mind game" (1995), que em tradução literal para o português significa "Sucesso. Isso é um jogo mental".

Ainda sobre o ramo esportivo, merece menção a Série 2.000, marcada pela resistência à água (em até 200 metros de profundidade), aro giratório unidirecional, ponteiros luminosos, coroa rosqueada, fecho de dupla segurança e visor de safira resistente a riscos. A linha de óculos Sport Vision (2002) também veio para incrementar a categoria. Apresentando lentes para diferentes esportes, como esqui, tênis, golfe e automobilismo, a série contava com modelos que custavam entre R$ 1,8 mil e R$ 2,6 mil.

TAG Heuer remete também à ideia de exuberância e, consequentemente, joias e pedras preciosas. Nesse quesito destacam-se o Chronosplit (1975), primeiro cronógrafo de pulso do mundo feito de quartzo e com mostrador LED; a Série S/El (1987), também conhecida por Sport/Elegance; e o Diamond Fiction (2005), primeiro relógio com mostrador de diamantes, limitado a três unidades, que exibe horas quando 54 pedras preciosas se iluminam de vermelho cintilante.

Visibilidade

A TAG Heuer ganhou o mundo, por assim dizer, quando o ator Steve McQueen apareceu com o relógio Monaco no longa-metragem "Le Mans" (1971). Rodado durante a tradicional corrida que dá nome ao filme, que tem 24 horas de duração e era uma das mais perigosas da época, "Le Mans" é uma referência para os fãs do automobilismo. E, claro, Steve McQueen virou o primeiro embaixador da marca.

Os modelos TAG Heuer estão disponíveis em mais de 100 países, por meio de lojas autorizadas e joalherias de renome. As peças da marca – com exceção de séries e modelos especiais – variam de US$ 600 a US$ 15 mil. Outra opção de disponibilidade são as 11 lojas próprias da rede







*Mensagem alterada pelo moderador rovel em 27/11/2013 23:00:37*
 
27/11/13 - 22:21
  Quote  #3
Mensagem por vip.imports2010
Local: Não fornecido
Cadastro: 21/08/11
Posts: 4018
Usuário nível:




Visualizar o perfil de vip.imports2010 Perfil  Busca de outros posts por vip.imports2010 Busca  Visite a página de vip.imports2010 www
Muito legal a história da marca, mas acho a marca o pior custo beneficio das marcas médias suíças.
 
04/12/13 - 15:44
  Quote  #4
Mensagem por Dicbetts
Local: Brasília
Cadastro: 20/04/10
Posts: 972
Usuário nível:



Visualizar o perfil de Dicbetts Perfil  Busca de outros posts por Dicbetts Busca  Visite a página de Dicbetts www
Quote: Originalmente postado por vip.imports2010 em 27/11/2013 22:21:20
Muito legal a história da marca, mas acho a marca o pior custo beneficio das marcas médias suíças.




Concordo com o Vip. É superestimada, sobretudo no Brasil.

Cobra demais e entrega de menos.
 
04/12/13 - 23:19
  Quote  #5
Mensagem por Alexandre T F
Local: Jaguariuna
Cadastro: 18/11/13
Posts: 37
Usuário nível:



Visualizar o perfil de Alexandre T F Perfil  Busca de outros posts por Alexandre T F Busca
Caros,

É natural que tudo que envolva paixão e amor acabe envolvendo sentimentos mais extremos, em muitos casos até injustificados ou sem argumentos totalmente coerentes e racionais. De novo: natural e compreensível.

Minha análise é que muitos argumentos que são usados para explicar o fato da "superestimação" da Tag Heuer não são tão coerentes quanto parecem à primeira vista, e estão muito mais relacionados com uma certa "inveja", pois a marca sempre investiu pesado em marketing, estando sempre bem mais em evidência na mídia (esportiva principalmente) do que outras marcas mid e high end. Isso gera “ira” principalmente para os amantes de Rolex, JLC, Breitling, B&M..etc... e até Omega (que por vezes sofre preconceito também), onde muitos consideram TH como lixo puro, resultado de marketing de massas.....

1- A Tag Heuer usa sim movimentos da ETA (que são bons movimentos, plenamente "certificáveis" pela COSC por exemplo). E os usou intensamente desde a década de 80, parte da estratégia de recuperação, assim como muitas outras marcas mid - to high end usaram e ainda usam.. A Atual gestão LVMH tem a estratégia de resgatar os ideais da HEUER, e assim está agindo, investindo pesado em pesquisa e desenvolvimento e no design “in house” de movimentos. Interessante que essas outras brands que fazem uso dos ETA não sofrem tamanho preconceito.

2- Em termos de qualidade de acabamento e manufatura, A TH sempre produziu produtos de altíssima qualidade, e isso não pode ser questionado. Quanto ao uso intensivo de materiais mais nobres como ouro e pedras preciosas, eu diria que o Mercado da TH é mais direcionado ao "esporte fino" do que ao de “alto luxo”.

3- Muitos dizem que a Heuer tem história no segmento, e que a TAG "deturpou" a missão/valores da Heuer. A verdade tem que ser dita: Sem a TAG muito provavelmente não existiria mais a Heuer. Ela seria absorvida por um outro grupo da indústria relojoeira, onde seria apenas mais uma marca, que possivelmente teria se desvirtuado mais ainda ou até sido extinta (como por exemplo a própria Leonidas). A TAG, por sua vez, não só injetou dinheiro, mas trouxe o expertise em manufatura de precisão, marketing estratégico e business relationship que fizeram sim a diferença para a Heuer.

4-E finalmente.....muitos colecionadores ocidentais puristas nunca (e frizo, nunca!) aceitaram que a Heuer fosse adquirida e dirigida por árabes......preconceito e bairrismo puro.......muito do ruído que se vê até hoje ainda é eco do pós aquisição, nos anos 80, do ruído gerado pelos experts ocidentais que “previram” a derrocada e desvirtualização da tradicional casa suiça. Na minha percepção, não poderia ter havido casamento melhor TAG + HEUER.........e vou além......arrisco dizer que a parceria TAG Heuer foi decisiva para que Ayrton Senna tivesse acesso a equipamentos e time adequados para vencer 3 títulos mundiais pela McLaren, cujo um dos maiores acionistas era a TAG (até hoje creio que detém 30%).

Enfim, o preço dos TH no mercado global é posicionado de acordo......não é “high end”.....mas um “mid end” ou em alguns modelos exclusivos e mais limitados, mid-high. E é natural que seja mais caro que um Mido/Movado etc.....afinal você não viu o Stevie McQuenn, nem o Senna, Lauda, L Hamilton, nem “n” pilotos de F1 usando intensivamente outras brands senão Heuer ou TH!

Saudações

Alexandre T F
 
20/12/13 - 10:04
  Quote  #6
Mensagem por Lago
Local: Brasilia
Cadastro: 16/09/13
Posts: 139
Usuário nível:



Visualizar o perfil de Lago Perfil  Busca de outros posts por Lago Busca
Concordo com o Alexandre. Mas não deixo de concordar com quem diga que os preços são salgados.
Nesse ponto, há algo que merece ser melhor explorado. Comparem a TAG-Heuer com qualquer outra marca em seu segmento e me digam, qual delas produz tecnologia e inovação comparável à TH?
Pesquisa e Desenvolvimento custa dinheiro, muito dinheiro. Trabalho nesse ramo e sei o quanto custa.
Há que se pensar...

Abraços!
Total de Mensagens encontradas: 6
Página 1 de 1 1
Clique aqui para navegar para o próximo tópico  Clique aqui para navegar para o tópico anterior

Se você deseja postar uma resposta a este tópico deve antes efetuar login
Se você não é cadastrado clique aqui para se cadastrar