Adicionar aos Favoritos      Indique este Site domingo, 20 de outubro de 2019                                                                         
notícias
Clique para zoom
Horlogical Machine Nº 2.2
Clique para zoom
Maximilian Büsser e Alain Silberstein
Clique para zoom
Clique para zoom
Clique para zoom
Clique para zoom
Clique para zoom
Clique para zoom
Clique para zoom

Clique nas imagens para visualizar as ampliações
A Caixa Negra da MB&F e de Alain Silberstein

terça-feira, 27 de outubro de 2009

A sequência de modelos lançados nos últimos anos por Max Büsser e a sua equipe da MB&F tem surpreendido a todos com um fluxo de criatividade verdadeiramente notável onde a inovação tecnológica no campo da micro-mecânica relojoeira não assume um lugar secundário. Não é, pois, de estranhar que esta verdadeira máquina de surpresas que é a MB&F tenha sempre mais uma tarefa com um grau de dificuldade aumentado, a cada vez que se prepara para lançar um novo modelo ou uma nova versão de um modelo existente, como é o caso do modelo que agora apresentamos.


Ao longo das últimas semanas, Maximilian Büsser foi mantendo Relógios & Relógios em um “suspance” difícil de suportar, e que culminou finalmente na divulgação, hoje, do projeto integral do novíssimo MB&F “Horological Machine 2.2”. O fato é que já não é fácil satisfazer as elevadas expectativas que se criam entre os seguidores da MB&F a cada vez que este aglomerado de talentos se prepara para lançar um novo modelo. Um outro fato é que a mais recente versão do HM2, com uma caixa criada pelo conhecido e criativo relojoeiro francês Alain Silberstein, não decepcionou.

Alain Silberstein é amplamente reconhecido pela forma ousada como trabalha e usa a cor e os padrões no domínio da relojoaria, e seria de esperar que Max Büsser se aproveitasse desta excepcional característica criativa ao máximo. Mas não. Ambos acabaram por desenvolver um conceito novo que batizaram afetivamente de “black box”, num estilo “Bauhaus”, puro mas contido. O modelo foi esculpido como uma jóia, mas Alain Silberstein afirma que o conceito lhe faz recordar as máquinas fotográficas dos anos 40. Seja como for, o nome de batismo escolhido para este modelo foi “Horological Machine No2.2”.


A diferença que o “.2” pode fazer!

Como uma boa parte dos que acompanham Relógios & Relógios já há algum tempo provavelmente sabem, a MB&F é uma empresa dedicada apenas à criação de pequenas séries de relógios conceituais radicais em estreita colaboração com os mais talentosos profissionais que a indústria da alta relojoaria tem para oferecer. O novo modelo Büsser/Silberstein baseia-se no Horological Machine No2, apresentado em 2008, e que introduziu o primeiro movimento mecânico a associar uma hora saltante instantânea, minutos concêntricos retrógrados, data retrógrada, fases da lua bi-hemisféricas e corda automática.

A caixa original, criada pela MB&F, é, segundo o seu criador, a mais complexa na história da relojoaria. Mas os inventores deste elemento inovador gostam de manter os fluidos criativos em movimento, pelo que Alain Silberstein se tornou o segundo “Amigo” convidado a desenvolver uma caixa no âmbito de uma segunda série limitada de apenas oito exemplares. O primeiro “Amigo” foi o artista plástico norte-americano Sage Vaughn, cujo modelo único criado para o leilão Only Watch já foi apresentado por Relógios & Relógios.

No que se refere ao seu design, a caixa Silberstein retém a dupla abertura e o forte perfil do Horological Machine Nº2, tendo sido, no entanto, repensada e reconstruída. O choque futurista instigado pelo modelo original deu lugar a um conceito novo e mais leve, com uma personalidade própria.


Grandes e pequenas inspirações

O caderno de encargos passado a Alain Silberstein refletia o processo criativo típico da MB&F. Ao explicar o projeto, Maximilian Büsser afirmou “Limitei-me a dar o relógio a Alain Silberstein e a desejar que ele se divertisse com a tarefa. O fato é que ele me apanhou totalmente desprevenido. Produziu uma caixa preta, quando o que aguardava era algo bastante colorido!”. Isto provocou um riso discreto em Alain Silberstein. “A verdade é que, quando vi a caixa original do Horological Machine No2, a câmara em miniatura dos anos 40 veio-me logo à memória. As aberturas circulares recordavam-me as lentes. Decidi assim desenvolver uma nova personalidade para este relógio associando a facilidade de utilização daquelas máquinas fotográficas com a disciplina do movimento Bauhaus”.


Tratar o titânio como uma joia

Alain Silberstein concebeu a caixa retangular a partir de um bloco de titânio, assentado sobre a subestrutura de aço original do Horological Machine No2. Esta técnica de construção com várias camadas é o que dá ao relógio o seu perfil técnico forte e rico.

Mas observado a partir da sua face, a caixa apresenta-se simples. O titânio foi tratado à base de uma camada de PVD exclusiva, que inclui silício na sua composição. O resultado é um negro peculiar e intenso, mas igualmente com um toque suave e resistente às impressões digitais. Alain Silberstein deu bastante importância às qualidades táteis da caixa, considerando que se deve tocar num objeto para se poder compreendê-lo. No que se refere a este importante elemento, agradou-lhe a analogia a um lapidador, no trabalho que desenvolve ao trabalhar superfícies foscas e polidas, dependendo de como a caixa reflete a luz. Considerando que a estrutura é elegante por si mesma, pouco trabalho de embelezamento foi necessário. Duas tiras de esmalte aplicadas na lateral da caixa contribuem para uma nota de preciosidade e ecoam as cores aplicadas no duplo mostrador.


Um mostrador com imagem e personalidade

Pela primeira vez num “Horological Machine” da MB&F, a hora saltante, no mostrador do lado direito, é apresentada através de uma janela, emoldurada pelos minutos retrógrados concêntricos. O mostrador da esquerda apresenta a data retrógrada e as fases da lua. Os mostradores destacam-se pelas suas cores vivas, um aspecto explicado pelo fato de que, tal como os artistas gráficos dos anos 20 e 30, Alain Silberstein desenha cada ponto e traço ele mesmo. “Eles são a face do relógio”, afirma, “e investi bastante tempo a pensar sobre a sua forma e escala”. Todos os caracteres vermelhos foram cobertos por Superluminova de maneira a dotá-los de uma fácil leitura em ambiente noturno.

Mas o designer deste relógio é Francês, o que lhe atribui automaticamente uma predileção por um design Bauhaus que seja desejável e faça sonhar. A lua, na sua abertura, recorda o satélite terrestre da famosa banda desenhada “Little Nemo”, produzida nos Estados Unidos durante o período Art Nouveau. Alain Silberstein considera a sua expressão “sympathique”, e tem desenhado luas à volta deste conceito há mais de 23 anos.


Pelo prazer de trabalhar em conjunto

Alain Silberstein deixou a sua marca neste Horological Machine No2.2 de uma forma multifacetada. Uma inscrição mínima e quase invisível sobre a lateral da caixa revela-nos a conhecida frase deste relojoeiro criador “Le vrai bonheur est d’avoir sa passion pour métier” (A verdadeira felicidade é poder ter a paixão como profissão). Este é o seu lema de longa data, pelo que acabou por encontrar as suas almas gêmeas na equipe da MB&F. Tal como afirma: “O verdadeiro sentido deste projeto foi o prazer de poder trabalhar juntos. A partir do momento em que desenvolvi o projeto inicial, todos os aspectos inerentes à caixa, desde a escolha de materiais aos caracteres e aos acabamentos, foram desenvolvidos em conjunto. O resultado é um design simples e puro, com uma pitada de humor. Para mim, ver a expressão de prazer na face de alguém que coloca pela primeira vez este relógio sobre o pulso, é a maior satisfação de todas”.


O criador Alain Silberstein

Alain Silberstein é francês, e o seu atelier localiza-se na histórica cidade de Besançon. Formado como arquiteto de interiores e designer, rapidamente concentrou os seus talentos na arte do design da alta relojoaria. A sua mestria no domínio do uso da geometria e da cor, traduzem-se em coleções que emanam criatividade e sentido de humor. Maximilian Büsser tomou contato com o seu trabalho há cerca de 20 anos, ao ultrapassar um BMW Z1 conduzido por um condutor com óculos clássicos de aviador e com um grande cronógrafo negro no pulso. O aspecto e a dimensão daquele cronógrafo, anos à frente do seu tempo, fizeram com que Max Büsser passasse a acompanhar com atenção o percurso profissional do seu criador. Segundo Max Büsser, “Todos os anos, a coleção de Alain Silberstein me surpreende. Ele é um verdadeiro artista, mas nunca se leva a si próprio demasiado a sério. Ao longo dos anos tem mantido aquele raro espírito de criança, e isso é algo que estimamos muito na MB&F”.


A verdadeira “Caixa Negra” está no interior

Internamente, o Horological Machine No2.2 é simultaneamente uma “caixa negra”, e o produto de um sonho de criança. O rotor da massa oscilante em ouro 22 K, com a sua cor azul forte, tem o meticuloso acabamento manual da elite dos movimentos relojoeiros tradicionais, mas deve a sua forma peculiar ao machado de duplo gume empunhado pelo “Grendizer”, o super herói de banda desenhada da infância de Max. Todas as grandes séries de ficção científica da TV, como Star Trek, Thunderbird, Dr. Who e Star Wars, tiverem um papel nas criações da MB&F. É a tensão entre o fascínio por este mundo imaginário, e a paixão pela alta relojoaria na sua mais pura forma, que dão a estas máquinas do tempo a sua vitalidade e relevância.


“Amigos” responsáveis pelo Horological Machine No2.2


Conceito: Maximilian Büsser

Design de Produto: Eric Giroud e Alain Silberstein

Gestão Técnica e de produção: Serge Kriknoff/MB&F

Desenvolvimento do movimento: Jean-Marc Wiederrecht/Agenhor, Maximilien Di Blasi/Agenhor, Patrick Lété/Artisans Horlogers

Construção do movimento: Salvatore Ferrarotto/APR Quality, Georges Auer/Mecawatch, Jose Perez/Clamax, Gianni Di Blasi/Clamax

Acabamentos manuais dos componentes do movimento: Jacques-Adrien Rochat/C-L Rochat, Denis Garcia/C-L Rochat

Montagem do movimento: Didier Dumas e Georges Veisy/MB&F

Construção e produção da caixa e fivela: Dominique Mainier, Bertrand Jeunet e François Liard da G&F Châtelain

Mostradores: François Bernhard e Denis Parel of Nateber

Ponteiros: Pierre Chillier e Isabelle Chillier of Fiedler

Pulseiras: Olivier Purnot/Camille Fournet

Estojo de apresentação: Isabelle Vaudaux/Vaudaux


Comunicação

Design Gráfico - Gérald Moulière e Alban Thomas do GVA Studio
Fotografia de Produto - Maarten van der Ende
Arquitetura de apresentação - Frédéric Legendre/Lekoni
Fotografias pessoais - Régis Golay/Federal
Webmaster - Stéphane Balet e Guillaume Schmitz da Sumo Interactive
Textos - Barbara Caffin
Gestor de projeto - Estelle Tonelli/MB&F
 
Topo
Mais Notícias:
09/10/2019 - Label Noir - Uma visita à sede da Label Noir
 
09/10/2019 - Label Noir - A visit to the headquarters of Label Noir (in English)
 
04/10/2019 - Jaeger-LeCoultre - Gyrotourbillon 3 Meteorite
 
23/09/2019 - Harry Winston - Histoire de Tourbillon 10
 
10/09/2019 - Bvlgari - Baselworld 2019 - Octo Finissimo Chronograph GMT
 
09/09/2019 - Bell & Ross - Nova coleção BR 05
 
04/09/2019 - Audemars Piguet - Millenary Frosted Gold Philosophique
 
03/09/2019 - Voutilainen - Baselworld 2019 - O excepcional 28ti
 
29/08/2019 - Montblanc - Em Xangai, a Montblanc lançou seus novos relógios femininos
 
28/08/2019 - De Bethune - Baselworld 2019 - DB21 Maxichrono Réédition
 
23/08/2019 - Jaeger-LeCoultre - Polaris Date
 
19/08/2019 - Cyrus - Baselworld 2019 - Klepcys Vertical Skeleton Tourbillon
 
16/08/2019 - Maximilian Büsser & Friends - Legacy Machine FlyingT
 
13/08/2019 - Greubel Forsey - GMT Quádruplo Turbilhão
 
08/08/2019 - Panerai - Sugestões de presentes para o Dia dos Pais
 
Topo
arquivo de notícias relógios & relógios
 
 

HOME  |   R&R  |   FÓRUM  |   LINKS  |   ESPECIAL 2007  |   ESPECIAL 2008  |   IMPRENSA  |   CONTATO  |   CONTATO
Relógios & Relógios © Copyright 2019

 
 
parcerias
 
 
 
 
redes sociais