Publicidade
Home  >  News Voltar

CartierAstrotourbillon Carbon Crystal

06 de agosto de 2012
Com o espetacular Rotonde de Cartier Astrotourbillon Carbon Crystal, a Cartier inicia a industrialização das inovações de seu relógio-conceito ID One.


No último dia 9 de Julho, a Cartier apresentou em La Chaux-de-Fonds, na Suíça, seu novo relógio-conceito, o ID Two. Ao mesmo tempo, e não menos importante, foi exibido o Rotonde de Cartier Astrotourbillon em cristal de carbono, modelo que incorpora inovações do relógio-conceito ID One.



O modelo foi apresentado por Bernard Fornas, Presidente da Cartier, Edouard Mignon, responsável pela Inovação Relojoeira Cartier e Carole Forestier, chefe do Departamento de Criação de Movimentos da marca.

O movimento de um relógio mecânico tradicionalmente exige diversos ajustes executados por um mestre relojoeiro. Estas operações de ajuste são obrigatórias para assegurar que o relógio funcione bem. Em 2009, a Cartier apresentou um relógio-conceito inovador para enfrentar este antigo desafio para os relojoeiros: o Cartier ID One, o primeiro relógio que dispensa ajustes e lubrificação. Este marco na história da relojoaria foi apenas o primeiro passo para futuras inovações Cartier.

Em 2012, a Cartier apresentou para o seleto grupo de jornalistas do Fine Watchmaking Club uma notável adaptação das funções do Cartier ID One ao famoso movimento Astrotourbillon, revelado dois anos atrás.

O novo Rotonde de Cartier Astrotourbillon Carbon Crystal constitui o primeiro passo da industrialização do Cartier ID One, graças ao seu escapamento de turbilhão que não precisa de ajustes ou lubrificação. Com tecnologias inovadoras, as pontes do turbilhão, a âncora e a roda de escape são todas feitas de cristal de carbono e se ajustam perfeitamente no momento da montagem, não exigindo nenhuma lubrificação.

Graças ao processo de produção Deep Reactive Ion Etching (DRIE), os componentes de cristal de carbono atingem tolerâncias ultra-precisas de um milésimo de milímetro, ou seja, um mícron, e têm superfícies extremamente lisas. Estas qualidades são essenciais para a roda de escape e a âncora monobloco, que executam suas funções com máxima eficiência e sem necessidade de lubrificação.

Esta suavidade é essencial para o Astrotourbillon Cristal de Carbono, já que a ausência de lubrificação faz com que os dentes da roda de escape forneçam precisamente seis impulsos por segundo para a âncora monobloco. Estes impulsos mantém a contínua oscilação do balanço.

O escapamento de movimentos mecânicos realiza um enorme esforço. Um balanço com frequência de 3 Hz completa 21.600 alternância por hora, continuamente, 24 horas por dia. O número total de impulsos neste período é de 518.400, os quais, multiplicados pelo número de dias de um ano, resultam no enorme total de 189.216.000. Após cinco anos, o total chega a quase um bilhão de impulsos, com cada um deles implicando em um vigoroso contato entre um dente da roda de escape e a palheta da âncora.

Graças à dureza intrínseca do cristal de carbono, que supera 10.000 Vickers, os rubis se tornam supérfluos. Aberturas pequenas e muito precisamente posicionadas são o suficiente, e estas aberturas já podem ser cortadas diretamente nas platinas e pontes quando essas peças são desenhadas e fabricadas. Extrema dureza é apenas um aspecto no espectro de inovações horológicas. O cristal de carbono não é apenas transparente e não-magnético, sua densidade também é muito baixa.

A roda de escapamento deve ser momentaneamente parada e instantaneamente reacelerada seis vezes por segundo, então todo miligrama que puder ser reduzido resulta em significativa economia de energia. Feitos de cristal de carbono, a roda de escape e a âncora são extremamente leves.

O mesmo se aplica à gaiola do turbilhão. Cristal de carbono é usado como material para a placa de apoio e para as três pontes que apoiam o conjunto do balanço, o eixo da âncora e o eixo da roda de escape. Dessa forma, toda a gaiola do Astrotourbillon atinge um incrível peso de apenas 0,46 grama, incluindo o contrapeso de platina!

Relógios mecânicos funcionam porque muitos de seus componentes se movem em uma direção ou outra. Uma engrenagem gira incessantemente em círculos, uma palheta e um balanço oscilam continuamente para frente e para trás. Cada um desses três componentes possui um eixo, que termina em um pivô, e esses se apoiam em suportes. O movimento dos pivôs necessariamente gera atrito, que gradualmente causa indesejados sinais de desgaste.

A situação é mais crítica no sistema de escapamento, isto é, entre a âncora e a roda de escape, onde as velocidades de rotação são significativamente maiores. Os relojoeiros tradicionalmente têm buscado minimizar o atrito através de uma tripla combinação: pivôs feitos com aço muito polido e endurecido, inseridos em rubis muito duros, que são periodicamente lubrificados adequadamente. Os pivôs podem ser considerados como o calcanhar de Aquiles de um relógio mecânico.

De forma inédita, a Cartier produziu os pivôs com o duríssimo carbeto de tungstênio, uma variedade de cerâmica, revestidos com uma camada de diamante. Os pivôs se movem nas pontes de cristal de carbono com mínimo atrito e nenhuma lubrificação.

A caixa de 47 milímetros Rotonde de Cartier é feita de titânio-nióbio, uma liga muito leve e não-magnética que resiste firmemente à corrosão, riscos e impactos. Usado no relógio-conceito Cartier ID One, este novo material é também biocompatível e hipoalergênico.

Apresentado em uma edição limitada e numerada de 50 exemplares, o Rotonde de Cartier Astrotourbillon cristal de carbono, com um escapamento livre de ajuste e lubrificação, é seguramente um passo em direção ao futuro da relojoaria.

A apresentação do ID Two e do Astrotourbillon Carbon Crystal teve lugar na sede da Manufatura Cartier, em La Chaux-de-Fonds. Contudo, durante nossa estadia na Suíça, ficamos hospedados no belo hotel Beau Rivage, em Neuchâtel.

Após a apresentação na Manufatura, retornamos a Neuchâtel, para um jantar formal com a presença de Bernard Fornas, no restaurante DuPeyrou. O evento, que contou com um breve discurso do Sr. Fornas, marcou o encerramento de mais um encontro do Fine Watchmaking Club.


Ficha técnica - Rotonde de Cartier Astrotourbillon Carbon Crystal

Caixa

Caixa Rotonde de Cartier de 47 mm em titânio-nióbio, coroa com cabochão de safira
Pulseira de aligátor com fecho de báscula em ouro branco 18 quilates
Resistente à água a 30 metros/3 atm

Movimento

Movimento mecânico de manufatura a corda manual Calibre 9460 MC, escapamento livre de ajuste e lubrificação, frequência de 3 Hz (21.600 aph)
Turbilhão com eixo no centro do movimento, pontes do turbilhão, âncora e roda de escape em cristal de carbono
Pivôs do escapamento em carbeto de tungstênio, reserva de marcha de 50 horas
Diâmetro de 40,1 mm, espessura de 9 mm, 195 peças, 17 rubis
 
Rotonde de Cartier Astrotourbillon Carbon Crystal (Copyright ©Cartier 2012)
(Copyright ©Cartier 2012)
(Philippe Ketterer © Cartier)
O Cartier ID One (© Cartier 2010)
(Fotos por César Rovel)
Carole Forestier
Bernard Fornas
Hotel DuPeyrou

NotíciasRelacionadas

07 de abril de 2020
23 de janeiro de 2019

BRANDPARTNERS