Publicidade
Home  >  News Voltar

CartierO novo relógio Baignoire

10 de dezembro de 2008
Belo durante o dia e belo à noite, o relógio Baignoire tem um estilo adequado a todas as ocasiões. Um lendário Cartier para senhoras, cuja feminilidade atemporal foi renovada por uma injeção de caráter e energia. Sua silueta esguia, um look descompromissado e um design simples oferecem uma elegância impecável.


Uma lição de estilo traz esta nova geração de um grande clássico Cartier, cuja perfeita forma oval e graciosidade fazem dele a mais parisiense das sua criações.

Exibindo refinada leveza, esta nova versão, que será apresentada em Janeiro, no SIHH, brilha com excelência e balanço para glorificar o legado Cartier através de inovações em estilo: as superfícies facetadas cintilantes do Baignoire original foram substituídas por cristal finamente esculpido. Sua caixa de maiores dimensões em ouro rosa abriga o movimento a corda manual Calibre 430 MC.

A pulseira, em tecido, possui fecho em ouro rosa.

Um relógio que exprime a mulher urbana contemporânea ao unir suprema suavidade e extremo rigor.

Um elegante sonho feminino que revisita os principais códigos estéticos da marca: a retidão dos numerais Romanos, longas linhas fluidas e o detalhe de um trilho tracejado no mostrador prateado, com um guilloché no padrão "flinqué".

Belo durante o dia, o relógio Baignoire é carismático, com seu elegante modelo em ouro.

Belo à noite, o novo Baignoire oferece uma versão que ofusca com o brilho dos diamantes cravejados em seu aro, em um total de 1,44 carats.

Facetas do mesmo relógio, cujo espírito de excelência foi reaceso por esta nova coleção para gerar um efeito de deliberado refinamento. O espírito da coleção Baignoire é, sobretudo, um inequívoco nome que evoca um design simplesmente impecável.

Um design oval encantador e original criado em 1912. Em 1956, o relógio-bracelete oval curvado, que ainda não tinha um nome, já tinha se tornado um clássico Cartier como os modelos Tank e Santos. Evoluindo em 1968 em uma versão ampliada, ele inspirou numerosas variações criativas. Foi apenas em 1973 que o modelo foi oficialmente batizado de "Baignoire".

O passado digno de um herdeiro, cuja atemporal sedução ainda hoje é revisitada.
 
(Foto: Panséri © Cartier 2008)
(Foto: Panséri © Cartier 2008)
(Foto: Panséri © Cartier 2008)
(Foto: Panséri © Cartier 2008)
(Foto: Panséri © Cartier 2008)

NotíciasRelacionadas

07 de abril de 2020
23 de janeiro de 2019

BRANDPARTNERS