Adicionar aos Favoritos      Indique este Site terça-feira, 15 de outubro de 2019                                                                         
notícias
Clique para zoom
O "Maria-Antonieta", fotografado antes de seu roubo
Clique para zoom
Retrato de Maria-Antonieta
AFP
Clique para zoom
Uma funcionária do museu israelense segura o relógio recém-recuperado
Reuters
Clique para zoom
Reuters
Clique para zoom
Reuters
Clique para zoom

Clique nas imagens para visualizar as ampliações
Recuperado o relógio "Maria-Antonieta"

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Maria-Antonieta, a Rainha da França, era uma fiel cliente da casa Breguet. Em 1782, A.-L. Breguet criou para ela seu relógio “perpétuelle” no. 2 10/82, com mecanismo de repetição e calendário. A Rainha da França admirava muito os seus relógios e repetidamente confirmava a sua estima. Em 1783, Breguet recebeu uma encomenda surpreendente e misteriosa: um relógio que incorporasse todas as complicações e os mais sofisticados mecanismos então existentes. Era um presente para a Rainha. Nenhum limite de preço ou prazo de entrega foi especificado pela pessoa que o encomendou, um membro da Guarda da Rainha. A.-L. Breguet dedicou-se à produção da peça, mas a rainha de má sorte morreu muito antes que o fabuloso relógio no. 160, conhecido pela posteridade como o “Marie-Antoinette”, fosse completado.

Roubado em 15 de Abril de 1983, do museu de arte islâmica L. A. Mayer em Jerusalém, esta obra-prima nunca mais havia sido vista até que foi recentemente recuperada pelo museu, após receber a dica de um relojoeiro de Tel Aviv, em Agosto de 2006.

O Marie-Antoinette, juntamente com uma coleção de 40 peças que incluía também um modelo “Sympathique”, criado por Breguet em 1819 e um “relógio-pistola” com 11 centímetros de comprimento, fabricado na França no início de século XIX, havia sido herdado por uma colecionadora do Reino Unido.

Os ladrões nunca foram presos, mas provavelmente não eram colecionadores de relógios, uma vez que de alguns itens foram retirados ouro e jóias.

O museu adquiriu os relógios, que não tinham nenhuma relação com arte Islâmica, da coleção de Sir David Salomons, que em 1855 tornou-se o primeiro prefeito judeu de Londres e em 1859 o segundo judeu membro do parlamento britânico.

O museu planeja exibir a coleção em breve.

Fonte: AFP e Breguet
 
Topo
Mais Notícias:
09/10/2019 - Label Noir - Uma visita à sede da Label Noir
 
09/10/2019 - Label Noir - A visit to the headquarters of Label Noir (in English)
 
04/10/2019 - Jaeger-LeCoultre - Gyrotourbillon 3 Meteorite
 
23/09/2019 - Harry Winston - Histoire de Tourbillon 10
 
10/09/2019 - Bvlgari - Baselworld 2019 - Octo Finissimo Chronograph GMT
 
09/09/2019 - Bell & Ross - Nova coleção BR 05
 
04/09/2019 - Audemars Piguet - Millenary Frosted Gold Philosophique
 
03/09/2019 - Voutilainen - Baselworld 2019 - O excepcional 28ti
 
29/08/2019 - Montblanc - Em Xangai, a Montblanc lançou seus novos relógios femininos
 
28/08/2019 - De Bethune - Baselworld 2019 - DB21 Maxichrono Réédition
 
23/08/2019 - Jaeger-LeCoultre - Polaris Date
 
19/08/2019 - Cyrus - Baselworld 2019 - Klepcys Vertical Skeleton Tourbillon
 
16/08/2019 - Maximilian Büsser & Friends - Legacy Machine FlyingT
 
13/08/2019 - Greubel Forsey - GMT Quádruplo Turbilhão
 
08/08/2019 - Panerai - Sugestões de presentes para o Dia dos Pais
 
Topo
arquivo de notícias relógios & relógios
 
 

HOME  |   R&R  |   FÓRUM  |   LINKS  |   ESPECIAL 2007  |   ESPECIAL 2008  |   IMPRENSA  |   CONTATO  |   CONTATO
Relógios & Relógios © Copyright 2019

 
 
parcerias
 
 
 
 
redes sociais