Adicionar aos Favoritos      Indique este Site sábado, 22 de fevereiro de 2020                                                                         
notícias
Clique para zoom
O "Maria-Antonieta", fotografado antes de seu roubo
Clique para zoom
Retrato de Maria-Antonieta
AFP
Clique para zoom
Uma funcionária do museu israelense segura o relógio recém-recuperado
Reuters
Clique para zoom
Reuters
Clique para zoom
Reuters
Clique para zoom

Clique nas imagens para visualizar as ampliações
Recuperado o relógio "Maria-Antonieta"

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Maria-Antonieta, a Rainha da França, era uma fiel cliente da casa Breguet. Em 1782, A.-L. Breguet criou para ela seu relógio “perpétuelle” no. 2 10/82, com mecanismo de repetição e calendário. A Rainha da França admirava muito os seus relógios e repetidamente confirmava a sua estima. Em 1783, Breguet recebeu uma encomenda surpreendente e misteriosa: um relógio que incorporasse todas as complicações e os mais sofisticados mecanismos então existentes. Era um presente para a Rainha. Nenhum limite de preço ou prazo de entrega foi especificado pela pessoa que o encomendou, um membro da Guarda da Rainha. A.-L. Breguet dedicou-se à produção da peça, mas a rainha de má sorte morreu muito antes que o fabuloso relógio no. 160, conhecido pela posteridade como o “Marie-Antoinette”, fosse completado.

Roubado em 15 de Abril de 1983, do museu de arte islâmica L. A. Mayer em Jerusalém, esta obra-prima nunca mais havia sido vista até que foi recentemente recuperada pelo museu, após receber a dica de um relojoeiro de Tel Aviv, em Agosto de 2006.

O Marie-Antoinette, juntamente com uma coleção de 40 peças que incluía também um modelo “Sympathique”, criado por Breguet em 1819 e um “relógio-pistola” com 11 centímetros de comprimento, fabricado na França no início de século XIX, havia sido herdado por uma colecionadora do Reino Unido.

Os ladrões nunca foram presos, mas provavelmente não eram colecionadores de relógios, uma vez que de alguns itens foram retirados ouro e jóias.

O museu adquiriu os relógios, que não tinham nenhuma relação com arte Islâmica, da coleção de Sir David Salomons, que em 1855 tornou-se o primeiro prefeito judeu de Londres e em 1859 o segundo judeu membro do parlamento britânico.

O museu planeja exibir a coleção em breve.

Fonte: AFP e Breguet
 
Topo
Mais Notícias:
31/01/2020 - Urwerk - UR-100 SpaceTime GunMetal
 
30/01/2020 - Alchemists - Cu29 - O relógio terapêutico
 
29/01/2020 - Bvlgari - Octo Finissimo Minute Repeater
 
28/01/2020 - Maximilian Büsser & Friends - Legacy Machine Thunderdome
 
27/01/2020 - H. Moser & Cie. - Streamliner Flyback Chronograph Automatic
 
20/01/2020 - Watches & Wonders Genebra - O SIHH agora é Watches & Wonders Genebra!
 
14/01/2020 - Greubel Forsey - GMT Sport
 
13/01/2020 - A. Lange & Söhne - Odysseus
 
07/01/2020 - Pedrozo & Piriz - Duplo Turbilhão Volante PP-01
 
10/12/2019 - Armin Strom - Minute Repeater Resonance
 
29/11/2019 - MB&F - Legacy Machine 101 Palladium
 
28/11/2019 - Panerai - Coleção Luna Rossa
 
27/11/2019 - Manufacture Royale - Micromegas Flying Tourbillon Micro Rotor Royale Bespoke
 
26/11/2019 - Only Watch 2019 - O relógio mais caro do mundo!
 
21/11/2019 - GPHG 2019 - Relógios & Relógios no Oscar da Relojoaria
 
Topo
arquivo de notícias relógios & relógios
 
 

HOME  |   R&R  |   FÓRUM  |   LINKS  |   ESPECIAL 2007  |   ESPECIAL 2008  |   IMPRENSA  |   CONTATO  |   CONTATO
Relógios & Relógios © Copyright 2020

 
 
parcerias
 
 
 
 
redes sociais